O longo século XIX – parte 1


Vamos agora a um “resumão” do conteúdo visto no 1º bimestre, em história.

Primeiramente, não podemos esquecer o básico: o longo século XIX é marcado pelo triunfo de uma nova sociedade, que se caracteriza da seguinte maneira:
-> Pensamento: Liberal
-> Modo de produção: Industrial
-> Classe dirigente: Burguesia

Começamos em 1799, com a Era Napoleônica. Napoleão enfrenta uma situação caótica e alta agitação política. Nesse momento, a França passava por uma crise econômica, que acarretou no aumento do custo de vida, que gera uma crise social e, por sua vez, resulta numa instabilidade econômica, social e política. Para governar, Napoleão teve que aplicar algumas medidas, entre elas: criação do banco nacional francês, controle da inflação, sistema público de educação, plano de obras públicas, liberdade de imprensa e imprensa oficial, código de leis napoleônicas e outras.
Importante lembrar que essa Era deu continuidade aos ideais “plantados” na Revolução Francesa, ou seja, Napoleão disseminaria pela Europa os ideais liberais, derrubando algumas monarquias absolutistas.

Entretanto, Napoleão acabou ‘irritando’ alguns monarcas. Em guerra com a Prússia, Rússia, Áustria e Inglaterra, ele foi derrotado na batalha de Waterloo.

Essa derrota iniciou o movimento contrarrevolucionário, ou seja, o absolutismo tentaria se reerguer. Foi no Congresso de Viena que se decidiu restaurar o absolutismo onde Napoleão havia o derrubado. Criou-se ainda a Santa Aliança, uma força armada para impedir manifestações que contrariassem essa decisão, afinal, o liberalismo já estava nas pessoas, não seria fácil retirá-lo.

Com a queda de Napoleão, a França volta a ser governada pelos Bourbons, com Luís XVIII. Ele mantém alguns pontos liberais. O parlamento era misto e o voto era censitário (só votava quem tinha uma determinada renda, mas era uma pequeníssima parte da população). Ele continuou com a liberdade de imprensa, que tornou mais ágil o processo de mudança na cabeça das pessoas. Mas, como a vida não dura muito, Luizão morreu e, em seu lugar, assumiu seu irmão, Carlos X.

Carlos X é membro do partido ultrarrealista. Fez uma lei que indenizava a nobreza, que teria sofrido durante a Revolução Francesa. Queria volta total do absolutismo e, em 1830, quando a oposição venceu as eleições e o parlamento teve sua maioria liberal, Carlos X dissolveu o parlamento e declarou censura total. Isso mobilizou a população que, unida por um ideal, foi às ruas lutar, na guerra civil dos 3 dias. Esse sentimento liberal foi tão grande, tão grande que “explodiu” pela Europa e deu origem à PRIMEIRA ONDA LIBERAL.

… to be continued.

Anúncios

Publicado em 26/04/2011, em Disciplinas, História. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: