Metrô: estação de Higienópolis deve ser na Rua Sergipe


Local mais provável é na esquina com a Rua Ceará; projeto prevê duas saídas: uma na própria Sergipe e outra mais perto da Faap.

Foto: Marcio Fernandes/AE "Cruzamento. Nova localização estudada fica a 200 metros de onde estação seria inicialmente"

Renato Machado – O Estado de S.Paulo

O governo do Estado confirmou ontem que a polêmica Estação Higienópolis/Faap do Metrô vai ficar mesmo no bairro nobre do centro da capital. A localização exata ainda não foi definida, mas está certo que essa parada da futura Linha 6-Laranja será na Rua Sergipe – em uma faixa de cerca de 100 metros entre a Avenida Angélica e a Rua Ceará.

 “O endereço da estação ficará nessa faixa da Sergipe com Angélica até mais ou menos a faixa da Rua Ceará”, disse ontem o secretário dos Transportes Metropolitanos Jurandir Fernandes, durante evento de inauguração da Estação Pinheiros da Linha 4-Amarela.

Fontes ouvidas pela reportagem afirmam que é grande a probabilidade de a nova estação ficar na esquina das Ruas Sergipe e Ceará. Conta a favor desse local o fato de não haver edifícios – o que encareceria desapropriações. Outro fator é que esse seria uma espécie de “limite” para aglutinar a demanda de estudantes da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) e também de quem circula pela Angélica.

Isso porque os técnicos estimam que uma distância de mais de 500 metros desestimula a pessoa a caminhar até a estação. No caso de Higienópolis, os cálculos preveem menos, 300 metros, porque há um grande desnível de terreno.

O projeto inicial previa uma estação no Pacaembu, que foi abandonada porque a demanda era baixa (17 mil passageiros por dia). Por isso o deslocamento não pode avançar muito rumo ao Pacaembu, para não perder a demanda da Angélica (25 mil).

A futura estação será totalmente subterrânea e bem profunda. Uma de suas saídas seria para a região da Faap pela Rua Armando Penteado ou Avaré. A outra seria na própria Sergipe, para atender à demanda da região da Avenida Angélica. Na região, as desapropriações seriam pequenas, apenas para as entradas e saídas da estação.

O secretário acrescenta que a estação precisa ficar no chamado “platô” da Angélica. Isso significa que ela deve estar no mesmo nível da principal avenida do bairro. Em direção ao Pacaembu, há um desnível de cerca de 60 metros (o equivalente a um prédio de 20 andares). Isso vai possibilitar evitar durante as obras áreas de rochas, que têm um custo de escavação elevado.

Como a estação será bem profunda, será possível construir os túneis pela Sergipe para que cheguem em nível na região da Faap.

Polêmica. A estação estava prevista inicialmente para a Avenida Angélica, esquina com a Rua Sergipe. Na semana passada, o Metrô decidiu trocar a posição, alegando que as distâncias até outras estações eram desproporcionais: Estação Mackenzie (610 metros) e PUC/Cardoso de Almeida (1,5 mil metros). A companhia diz que a decisão foi técnica, mas a possibilidade de a mudança ter sido feita para atender moradores que não queriam a estação no bairro virou polêmica. “Independentemento de onde seja construída, a estação não estará a mais de 150, 200 metros da Angélica”, disse Fernandes.

Fonte: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110517/not_imp720184,0.php

Anúncios

Publicado em 21/05/2011, em Notícias Gerais, Sociologia. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: