Arquivos do Blog

O submundo da Internet


 A rede antissocial retrata a realidade por trás das páginas do 4chan, fórum berço de conteúdos ilegais, vandalismo, trotes, modas virais e reduto de hackers que fazem justiça com a própria mão.

Eles invadiram o e-mail de Sarah Palin. Transformaram fotos de gatinhos num negócio milionário. Encontraram gente que se escondia da polícia no outro lado do mundo. Derrubaram sites da indústria fonográfica. Ressuscitaram a fama de um cantor dos anos 80. Encheram o YouTube de pornografia. Desafiaram a cientologia – e nocautearam os inimigos do Wikileaks. Eles são os membros do fórum americano 4chan (4chan.org), uma espécie de rede antissocial. Lá é possível interagir com outras pessoas sem nunca se identificar, à vontade para fazer qualquer coisa.
Mesmo que essa coisa seja azucrinar uma celebridade. No ano passado, o site de promoções Faxo.com criou uma eleição que apontaria o próximo destino do ídolo Justin Bieber. Israel vinha tranquilo na ponta, até que em dois dias a Coreia do Norte pulou de 24º para o 1º lugar, com 659 448 votos. A embaixada coreana no Reino Unido se manifestou, dizendo que iria conversar a respeito com Pyongyang. Mas peraí… Coreia do Norte? Lá o uso da internet não é proibido? Tudo não passava de um trote aplicado pelos usuários do 4chan, que odeiam Justin Bieber – já haviam dito que ele estaria com sífilis e tinha sofrido um acidente de carro, em mentiras fartamente divulgadas no Twitter. Um porta-voz do cantor teve que explicar que a promoção não tinha consentimento de Bieber e que ele não iria à Coreia do Norte. Não satisfeito, o pessoal do 4chan criou mais um boato: “Justin Bieber odeia a Coreia”.
O 4chan enganou Oprah Winfrey, maior apresentadora da TV americana. Toda série, ela leu no ar a preocupante notícia de um suposto grupo de pedófilos – que dizia ter “9 mil pênis para molestar crianças”. Era uma informação falsa plantada pelo 4chan. O ator Tom Cruise e sua religião, a cientologia, também foram alvos. A seita começou a perseguir o YouTube, exigindo a remoção de um vídeo de treinamento estrelado por Cruise. Aí, um grupo de usuários do 4chan decidiu reagir. No fórum surgiu um grupo de pessoas, autointituladas Anonymous, que orquestraram uma saraivada de ataques à cientologia – com direito a invasão de sites, trotes e passeatas em dezenas de cidades americanas. O grupo, que não tem líderes definidos e usa como símbolo a máscara do personagem V, o sinistro protagonista da história em quadrinhos V de vingança, recentemente conseguiu tirar do ar o site do Mastercard, que havia bloqueado doações ao site Wikileaks. Por isso, hoje o 4chan é observado de perto por empresas de segurança.

Fonte: Super Interessante, Edição 290 – ABR/2010.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: